Tarifas de água e esgoto são altas no Brasil?

Tarifas de água e esgoto são altas no Brasil?

Análise da percepção dos brasileiros quanto aos preços das tarifas de água e esgoto praticadas no país e comparativo do valor que as pessoas atribuem ao saneamento.

Uma das maiores reclamações pelos serviços de água e esgoto no Brasil é pelo preço da tarifa. Em várias cidades do país, são comuns movimentos nas redes sociais reclamando dos valores cobrados pelas concessionárias de saneamento e exigindo do poder público sua redução por decreto. Políticos oportunistas aproveitam esse cenário para amplificar as reclamações e conseguir notoriedade e votos com esse tema.

Inicialmente, é preciso analisar as tarifas cobradas pelas principais empresas de saneamento do país. A SABESP publicou, em 2016, gráfico comparando as tarifas praticadas para faixa de consumo Residencial Normal até 10 m³. Excluindo-se os desvios verificados na tarifa da DEPASA (AC) que apresenta uma tarifa de apenas R$ 10,76 e nas tarifas da CORSAN (RS) e da SANEAGO (GO) com tarifas muito acima da média de R$ 64,83 e R$ 45,60, respectivamente, a média cobrada pelas companhias brasileiras é de R$ 28,12.


Assim, o valor médio do metro cúbico de água tratada fornecida pelas 27 companhias pesquisadas pela Sabesp é de R$ 2,81. Isto significa que os brasileiros pagam em média esse valor por cada 1.000 litros de água tratada que é transportada e disponibilizada em suas casas. Cada litro desse líquido essencial à vida custa apenas R$ 0,002812.


Os processos de captação, tratamento, reservação e distribuição da água são complexos, exigem insumos caros (energia, produtos químicos, equipamentos e pessoal especializado), precisam de investimentos consideráveis em infraestrutura e gastos com o custeio e manutenção. Além disso, todos sabem que a água tratada significa saúde e bem estar para as famílias. Então, por qual motivo muitos brasileiros não dão o devido valor a esse bem tão precioso disponível em suas residências?

Para responder a essa pergunta, é possível comparar a água tratada com alguns produtos consumidos pela maioria dos brasileiros. Veja quadro abaixo:

Produto

Preço unitário

Preço por metro cúbico

Água Mineral 500 ml

R$ 2,00

R$ 4.000,00

Cerveja 600 ml

R$ 8,00

R$ 13.330,00

Gasolina 1 litro

R$ 4,00

R$ 4.000,00

Observa-se a grande discrepância entre os valores cobrados por esses produtos com o valor do metro cúbico da água tratada. Especialmente com relação à água mineral, milhões de famílias compram esse produto em galões de 20 litros diariamente para seu consumo doméstico, pagando preços em média 2.000 vezes maiores que o valor cobrado pelo litro da água tratada que está disponível nas torneiras de sua casa.


Naturalmente, para consumir a água fornecida pelas companhias de saneamento é preciso ter alguns cuidados com a conservação e limpeza dos reservatórios domésticos. As empresas do setor recomendam que as caixas d’água estejam cobertas e sejam lavadas e desinfetadas semestralmente, para evitar contaminação da água reservada.

Avançando na análise, uma pesquisa realizada pela Global Water Intelligence (GWI) registrou valores de tarifas de água pelo mundo em 2015 em dólar por metro cúbico. Comparando seus resultados com a média cobrada pelas companhias brasileiras em 2016, também convertida em dólar, percebe-se que o preço está abaixo da maioria dos sistemas de cidades mais desenvolvidas do planeta. Veja o gráfico abaixo:


Outra reclamação muito comum é sobre o valor da tarifa de esgoto. No Brasil, para as cidades que contam com serviços de coleta, afastamento e tratamento dos esgotos, é cobrado um percentual que varia de 80 a 100% do valor da tarifa da água. Novamente, percebe-se uma desvalorização de um serviço essencial para conservação e recuperação dos mananciais e erradicação de graves doenças de veiculação hídrica.

As companhias de saneamento justificam a cobrança de tarifas de esgoto similares aos valores da água devido aos investimentos na implantação de sistemas de esgotamento sanitário serem mais vultosos. Também alegam que os custos operacionais para manutenção e operação dos sistemas são altos. Sem contar as necessidades de reinvestimentos em estruturas e equipamentos devido à corrosão provocada pelos gases produzidos nos esgotos.

Novamente, é preciso refletir sobre o saneamento que o Brasil necessita para alcançar índices de desenvolvimento humano similares aos dos países desenvolvidos. Para isso, será necessário investir principalmente na implantação de sistemas de esgotamento sanitário, uma vez que déficit do país é enorme. E para os serviços serem viáveis, a tarifa é a forma de remunerar os investimentos e custeio realizados pelas empresas do setor. A população brasileira precisará escolher em qual realidade desejará viver e conviver no futuro...


Leia também:

O bem de todos acima do interesse pessoal

- CEDAE-RJ: privatização é condicionante para ajuda do Governo Federal ao Estado

- ASSEMAE: em defesa do protagonismo municipal nos serviços de saneamento

- Como reduzir gases corrosivos como o H2S nos sistemas de esgotamento sanitário

Água mineral de garrafa: os perigos da contaminação

Palavra cruzada